CASCA DE LARANJA, NUNCA MAIS - USE VELASHAPE



ACABE COM O TORMENTO DA CELULITE E NO PRÓXIMO VERÃO ENFRENTE COM TRANQUILIDADE O ABOMINÁVEL BIQUINI





CELULITE - INIMIGA PÚBLICA

 

         No inverno, até dá para agüentar. Mas, na hora de encarar o biquíni... Vamos enquadrar essa bandida!

 

  Ela está bem na foto – da festa, do jantar, da exposição, do coquetel. Mas pode colocar tudo a perder na hora de encarar o implacável biquíni. Com a iminência de colocar o bumbum e as pernas à mostra, que mulher não fica passada só de pensar na celulite em suas depressões? E nós, brasileiras, famosas mundialmente pela nossa sensualidade, não estamos livres desse mal, que aflige altas e baixas, cheinhas e magrinhas, jovens ou não. Uma pesquisa recente conduzida pelos laboratórios Elida Gibbs do Brasil traz um resultado ao mesmo tempo inexorável e consolador: 90 % das mulheres desse país apresentam algum grau de celulite, ainda que ela seja quase imperceptível. E mais: para 76 % delas, acabar com o desagradável aspecto casca de laranja da pele é a principal preocupação estética.

“A celulite é uma doença multifatorial, desencadeada por causas variadas. Embora ainda não tenha sido descoberta a sua cura total, ela pode e deve ser tratada e controlada ”.

Como maiôs e biquínis não mentem, prepare-se para saber tudo sobre a celulite e montar sua estratégia para ficar com o corpo confortavelmente à mostra neste verão.

 

Conheça sua adversária –Celulite, ou  lipodistrofia ginóide, é uma alteração da estrutura e do funcionamento da pele capaz de promover uma revolução interna e externa no corpo.

O que ela faz por fora, todas nós sabemos: a pele fica cheia de ondulações e, nos estágios mais avançados, com depressões profundas e nódulos endurecidos. E por dentro? A modificação começa no metabolismo de algumas células gordurosas, que não conseguem eliminar as toxinas e os líquidos que passam por elas. O acúmulo de resíduos faz as células aumentarem de volume, ficando deformadas e mais unidas. Na luta pelo espaço, elas pressionam os vasos sangüíneos e as fibras de sustentação da pele, o que diminui a passagem do sangue e dificulta a circulação. Assim o local fica sensível e intumescido. Além disso, a circulação deficiente provoca uma redução da temperatura externa da região. Isso dificulta a oxigenação das células e inflama o tecido subcutâneo, composto das fibras de colágeno e elastina. Resultado: essas fibras ficam endurecidas, com pontos salientes e depressões.

Por que nós, mulheres? Oscilação hormonal é uma das principais causas da celulite. Tanto que raros são os casos de homens torturados por esse mal. O ataque ao corpo feminino é tamanho que ela costuma ser chamada de “ doença de mulher ”.

“O corpo feminino passa por várias transformações hormonais ao longo da vida, nos processos de menstruação, gravidez, menopausa etc. A ação do hormônio feminino, o estrógeno, durante suas flutuações é o maior responsável pela alteração no metabolismo das células”. Ou seja, pelo simples fato de nascermos mulheres, temos a predisposição para o desenvolvimento da celulite.

 

 

 

 

Outra causa determinante é a hereditariedade. Pode parecer cruel e injusto, mas, se sua mãe tem, se sua tia tem, sua chance de ser a próxima vítima é muito maior. Assim, para nossa desolação, algumas poucas felizardas ( os tais 10 % da pesquisa ) estão livres dela. Agora considerando a maioria, que compõe os 90 % restantes da estatística, o que explica o fato de a celulite aparecer em graus diferentes nessas mulheres? Resposta: a configuração genética, o equilíbrio hormonal e o estilo de vida podem agravar ou melhorar o quadro.

A concentração de furinhos no bumbum e nas coxas também tem explicação: a tendência da mulher de acumular mais gordura nessa região. “É a lei da preservação da espécie. A cada mês, o corpo feminino incha na região abaixo da cintura, preparando-se para uma gravidez”. A retenção de líquidos associada à ação hormonal interfere nas células e favorece o aparecimento da celulite.

Quem tem pouca celulite tem que tratar, sim, o quanto antes, para a pele não virar um acidente geográfico. Depois, não vale colocar a culpa toda na genética. As que têm predisposição, mas se cuidam, podem até conseguir ter uma pele mais uniforme do que outras mais privilegiadas, porém  displicentes.

“Mesmo a celulite de grau leve merece atenção, já que ela é evolutiva e, mais dia, menos dia, pode piorar. É um erro comum pensar que ela fica estacionada”

Alerta: “ Quanto mais avançada a celulite, maiores o comprometimento da circulação do sangue e a retenção de líquidos. Daí as dores e os inchaços freqüentes ”. Então, além do aspecto enrugado que todas nós detestamos, a celulite pode trazer um cansaço acentuado nas pernas, dores intensas ao toque e uma sensação constante de inchaço na região.

Seu plano de ataque começa com uma alimentação balanceada, atividades físicas regulares e o uso diário de um creme específico, que deve ser aplicado com uma massagem suave na área afetada. Nos casos mais avançados, os tratamentos estéticos têm uma ação muito mais eficiente, como eletrolipoforese, ultrason, drenagem linfática,  modernos cosmecêuticos de laboratórios com tecnologia avançada.

 

Qual é o grau?

Grau 1 – a pele não apresenta alterações visíveis, e os furinhos só são detectados quando os músculos estão contraídos. Esse estágio, os tratamentos chegam a ter praticamente 100 % de efeito positivo;

Grau 2 – já se pode notar o aspecto rugoso em áreas determinadas. Há apenas pequenas ondulações visíveis e poucas depressões. O local fica mais sensível ao toque. Nesse estágio, ao tratá-la , pode-se obter uma melhora de aproximadamente 70 %;

Grau 3 – o efeito casca de laranja espalha-se pelo bumbum e pelas coxas. Há nódulos pequenos e médios endurecidos, e as pernas ficam mais pesadas e cansadas devido à dificuldade da circulação sangüínea. A região fica dolorida. Os tratamentos ajudam mas demandam mais tempo para surtir efeito;

Grau 4 – geralmente está associado a um grande excesso de peso, já que o acúmulo de gordura é terreno fértil para a celulite se instalar. Os nódulos têm cerca de 3 cm de largura, as depressões são profundas e o contorno corporal está disforme. Não é um caso perdido, mas também não se pode esperar milagres. Os tratamentos indicados são mais severos ( como Método Celulítico Integral – Espanha)  e os resultados são mais demorados.


ABRAÇOS DA SUA NUTRICIONISTA FAVORITA LETÍCIA COSTA